25 de jul de 2011

OITO FORMAS DE MUDAR O MUNDO


Podemos observar que o mundo vem enfrentando sérios problemas, onde se destacam, a fome, a miséria, Educação de qualidade para todos, Igualdade entre sexos e valorização da mulher, Reduzir a mortalidade infantil,  Melhorar a saúde das gestantes, Combater a AIDS, a malária e outras doenças, qualidade de vida e respeito ao meio ambiente e  todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento.

            No ano de 2000, depois de uma séria de fóruns, debates e discussões realizadas em todo o mundo, a Organização das Nações Unidas – ONU, que foi criada logo após o termino da II Guerra Mundial, por 191 países signatários, como uma instância de equilíbrio entre os poderes, as aspirações e os dilemas das diferentes nações, tem como objetivos buscar por meio de suas agencias e programas, estabelecer metas internacionais, envolver lideranças e comprometer os povos na solução de problemas que dizem respeito a todo a humanidade, com isso lançou um programa mundial de melhora de qualidade de vida humana, que se tornou conhecido no Brasil como Os oito jeitos de Mudar o Mundo, com trabalhos voluntários educativos, tendo como objetivo estimular as escolas que acreditem no potencial educativo e fazer do voluntariado o motor de novos projetos. O motivo de se atingir as escolas é que lá tem os ingredientes da transformação, que se combina em conhecimento, a esperança no ser humano e a vontade de fazer.
            A fome é certamente a mais dramática das carências humanas, mais não é a única. É importante que os educadores percebam que para agir contra a miséria e contra a fome é preciso, antes de tudo, uma mudança de olhar.
            Para que a miséria e a fome deixe de existir, é preciso que se tornem insuportáveis para todos nós, e não apenas a quem delas sofrem.
            Falando um pouco sobre a educação básica de qualidade para todos, não há muito o que se discutir, pois todos têm direito a educação de qualidade, porem nem todos chegam a completar o ensino básico. Esse caso poderia melhorar, como por exemplo identificando alunos faltosos, para que voltem a freqüentar as aulas, disponibilizar atividades recreativas e esportivas, mais com fundo educativos, o rganizar ou participar de campanhas de doação de livros e de materiais didáticos para instituições e bibliotecas, fazer e manter uma biblioteca alegre e acolhedora, e mostrar que a leitura é um prazer, acolher e respeitar os alunos especiais, além de denunciar professores e escolas que não promovam a inclusão dos portadores de deficiências, identificar crianças fora da escola e encaminhá-las para o ensino, além de denunciar o fato ao Conselho Tutelar da cidade, fazer o acompanhamento de uma criança incentivando-a e monitorando seu desempenho, participar do Conselho Escolar e acompanhar o desempenho da escola, organizar aulas de reforço escolar para estudantes com dificuldades de aprendizagem, fazer um levantamento dos analfabetos em seu bairro e incentivá-los a freqüentar um curso de alfabetização e incentivar a criação e o trabalho voluntário em creches para crianças de 0 a 4 anos.
            Sobre a igualdade entre sexos e valorização da mulher, sabemos que a história do mundo nos mostra que durante muito tempo os homens e as mulheres não tinham os mesmos direitos e deveres. Em alguns países isso ainda acontece. Em outros, as mulheres conquistaram direitos que antes lhes eram negados, existem sim soluções para haver a igualdade entre os sexos, denunciar casos de violência, abuso e exploração sexual contra crianças, não empregar crianças, para não prejudicar seu desenvolvimento ou comprometer sua infância, e denunciar os casos conhecidos de trabalho infantil para a Delegacia Regional do Trabalho, não valorizar e não comprar produtos que explorem o corpo da mulher em sua comercialização, exigindo o cumprimento da regulamentação publicitária e fortalecendo o senso critico da sociedade, atuar em atividades em prol da melhoria da auto-estima das mulheres, promovendo a valorização e o respeito em todas as fases do seu ciclo de vida da mulher (infância, adolescência, gravidez, maternidade, velhice), encorajar as jovens para que busquem seu desenvolvimento socioeconômico, por meio da educação e do trabalho, incentivar adolescentes mães a retomarem seu projeto de vida, combatendo qualquer situação que dificulte seu acesso às escolas públicas.
Em relação a redução da mortalidade infantil, em nosso país muitas crianças morrem antes de completar o primeiro ano de vida. As causas são inúmeras, como a desnutrição a falta de acompanhamento pré-natal e durante o parto, melhorar a saúde materna também ajuda a reduzir a mortalidade infantil. Já sobre a melhoria da saúde das gestantes, em nosso país muitas mães morrem no parto ou logo após. São vários fatores, como a assistência médica inadequada, a falta de preparo das mães para se cuidar durante a gestação e a desnutrição.
Os cuidados com o combate a AIDS, a malaria e outras doenças perigosas é um dos piores problemas mundiais, podendo ser combatidas com medicamentos, campanha de vacinação, falando sobre os sintomas, como pode se prevenir das doenças, as formas de tratamento, incentivo à higiene, o governo implantar mais agentes para fazerem com mais freqüências visitas nas residências para mostrar locais que podem favorecer a dengue.
A qualidade de vida e respeito ao meio ambiente, pode ser resolvido com a conscientização das pessoas, principalmente nas empresas, que ao invés de muitas impressões, digitalizem os documentos, assim diminuirá o desmatamento, existe um grande desperdício de água, as pessoas não imaginam que daqui a uns 30 anos pode haver falta de água doce, a produção de lixo é excessiva, mais isso é um caso que pode ser parcialmente resolvido com campanhas de uso racional de água, implementar coleta seletiva solidaria, nas escolas, empresas até meio nas ruas e praças, realizar mutirões de limpezas, divulgar o benefícios de produtos recicláveis, diminuir o uso de energia elétrica, dentro outros fatores que poderão fazer a diferença em nosso planeta.
            Todo o mundo tem que trabalhar pelo desenvolvimento, escolhendo temas de interesses comum e promover encontros entre escola e comunidade e organizações sociais – é fundamental continuar aprendendo coisas novas sempre, organização de grêmio da escola que pode desenvolver vários cursos como inclusão digital e geração de renda, divulgar o que já está sendo feito pela comunidade, no jornal da escola, do condomínio ou do bairro– nada melhor do que compartilhar experiências, convidar amigos, vizinhos, empresas e instituições a participarem. Enquanto o seu grupo faz uma ação, muitos outros também estão fazendo a sua parte. O sucesso de um projeto de voluntariado depende das pessoas envolvidas e das parcerias realizadas, a solução de um problema, pode servir de resposta para muitos outros, sociedade civil, empresas, organizações sociais, todos em prol da diferença e trabalhando juntos.